20080313

AS NATUREZAS MORTAS DE CELESTINA


A NATUREZA MORTA


Um tabuleiro

Um pano com rendinha

Frutos de Fevereiro

Um bule, uma chaveninha

Flores, amarelo-canário

Uma fatia de torta

Está montado o cenário

Para a "natureza morta"


Natureza morta!...

Que grande tolice

A fatia de torta

Aquela gulodice!

Estava cheia de vida

Esteve-me a provocar

E já foi comida

Acabei de a matar


Fiquei enjoada...

E decidi então

Fazer limonada

Matei o limão!

As laranjas não como

Estão com mais sorte

Mas...vou comer um gomo

E já fiz outra morte


Ainda tem vida

O cenário montado

A frésia florida

De amarelo dourado

E o malmequer

Qual explosão de branco

Também o vou manter

Para meu encanto



Celestina


(ALUNA DA UTIB - ÁREA DE ARTES PLÁSTICAS)

4 comentários:

Anônimo disse...

Boa pintura Celestina.Gostei...
Rocio Mendes

kira disse...

...e cá o "prof" fica vaidoso como ninguém.
Obrigado .

Carlos Correia disse...

Belo poema. Também gostei.

kira disse...

Esta senhora - Celestina - é uma dos VINTE MAGNÍFICOS que tenho o prazer de "encontrar" todas as 5ªs-feiras das 11,45 h às 14 h..
Obrigado também ao poeta Carlos Alberto.