20080429

ORA ESSA !


Palavra de honra que, uma das coisas que mais saudades me deixou, foi a estadia em Pinheiro da Cruz. Tratava da horta, ordenhava umas vacas nos intervalos, ajudava na prova do vinho da cadeia, não via televisão, não tinha que me preocupar com as refeições e até me sobrava tempo para ajudar dois colegas a escavar o túnel que, por azar deles foi dar ao Marquez de Pombal, originando –lhes um castigo por causa daquele Zé que sabe tudo - aquele da Câmara de Lisboa. E tenho saudades daquele tempo porque hoje fico estupefacto com o que vejo na televisão e leio nos jornais.
Estou completamente parvo (mais do que sou, dizem que é difícil!) com o meu povo a queixar-se de tudo. São os polícias que levam porrada nas esquadras (Évora); são os queixosos que apanham pela medida grossa, também nas esquadras, mas dos meliantes; são os bancos alimentares a lamentarem-se que cada vez há mais fome em Portugal; são os tribunais com sala de espera nas escadas, arquivo no elevador e casas de banho nos cafés vizinhos; são os taxistas assaltados; o carjacking do dia a dia; os psd`s às aranhas, incluindo o Santana Lopes depois do “directo” da Manuela Ferreira Leite; é o Vereador a dar trancada no Provedor (Barreiro); é o óleo de girassol contaminado; é – oh santo Deus – a ansiedade provocada pelo aparecimento ,no dia 13 de Maio, do santinho da Madeira, vulgo Alberto João, a ver se vai ou não vai a votos. Não serão coisas a mais?
A única coisa, diga-se em abono da verdade, que realmente me poderia preocupar…é a fome que está a alastrar no país. Mas, juro, nem isso me preocupa. Porque, sinceramente, acredito no bom senso nacional e na arte do desenrasca. Que tal umas sandes de “submarinos” à moda de Portas? Umas pataniscas à “novo aeroporto” com molho de Alcochete? Uns croquetes de “tgv” apanhando o ar do Tejo mesmo em cima da ponte Chelas-Barreiro? Anh?
Ou então esperem que a Misericórdia abra os cordões à bolsa e acerte no euro-milhões. Difícil acertar? Não porque sabe jogar. Ora essa!

46 comentários:

A-Verdadeira disse...

E o porco?
Onde é que entra aqui o porco?

Anônimo disse...

Seria bom que de uma vez por todas se esclarecesse, afinal, O QUE SE PASSA com a Santa Casa do Barreiro, com o Provedor e com o Vereador.
Para muitos de nós, a Santa Casa do Barreiro, foi a última casa onde viveram aqueles que amámos, e que já partiram.
Para outros tantos, a Santa Casa do Barreiro poderá vir a ser a última casa onde viverão. Nós ou os nossos entequeridos.
Na Santa Casa do Barreiro trabalham muitos funcionários, cerca de 250. Muitos deles trabalham com dedicação, tratando com competência e carinho, os idosos que por lá vão passando.
TODOS, utentes, familiares dos utentes e funcionários merecem respeito. O respeito de não se fazer da grave situação que parece existir nesta Santa Casa, motivo de chacota, de gozo, de diversão bloguística.
É demasiado grave para servir de humor.
Quem sabe, o que sabe, que eu ainda não percebi muito bem, o que é, ou que se passa, ou que se passou, que conte a verdade. Que denuncie. Se for o caso.

Mas por favor que não se brinque com situação tão gravosa.
Estamos numa democracia, na qual há orgãos próprios para se resolver este tipo de situações.
A Democracia tem limites.
Um desses limites é o da decência.

Anônimo disse...

A situação que se passa na Santa Casa do Barreiro é a que essas pessoas todas, de que o anónimo fala, quiseram.
Deixaram arrastar o problema, deixaram que aquela Instituição fosse partidarizada e utilizada como quartel-general de intenções menos claras.
Lamento que toda a gente se tenha vergado a um "ídolo" com pés de barro e o tenham deixado pôr e dispôr de uma coisa que não era propriedade dele.
Investiguem as parcerias com a Visabeira. Investiguem qual dos idosos pagou mais para ser acolhido. Investiguem as "concubinices". Investiguem qual o motivo porque só emprega militantes do PS. Investiguem as verbas da formação. Investiguem como foram pagos os tais 500.000 euros. INVESTIGUEM! INVESTIGUEM! INVESTIGUEM!
Não venham agora dizer que "não percebem", como é o caso agora deste anónimo.
Investiguem também porque motivo estão lá pessoas já reformadas a trabalhar e a ganhar bons ordenados, quando temos jovens que querem trabalhar.
"Quem sabe, que conte a verdade..., que denuncie, se for o caso".
É para brincar mesmo. E é de rir como é que ainda existem situações destas à luz da democracia.
Estão todos no Choco à espera que alguém avance. Estão todos nas encolhas, borrados de medo de um jarreta.

Têm o que merecem todos, pela vossa indifrença, pela vossa impassividade.
Aguentem!
Eu só tenho pena daqueles que precisam mesmo de lá trabalhar e de ser acolhidos, porque não têm outra alternativa que não essa.

É bom que se brinque com a situação porque é através do humor que as pessoas tomam consciência do que está podre.

O Senhor Kira que me desculpe ter feito do seu blog o meu púlpito. Eu tenho todo o direito à indignação.

José Pereira da Silva

kira disse...

descambou para a misericórdia do barreiro? não era intenção! quem "sabe jogar" é a dona das lotarias, totolotos e totobolas. era essa.talvez a carta do leitor no margem sul, da autoria de amilcar romano "hoje,sinto mais vergonha" tenha levado os meus amigos anónimos a fulanizar este texto de humor. não sei. ou sei? hà quem esteja a ganhar do bom, com boas reformas tirando emprego a quem precisa: eu sei; . há quem queira ganhar eleições pagando a 40 velhinhos, eu sei. há quem tenha muito medo de...publicar no seu blog uma piada, eu sei; há quem entre, preferencialmente, para ocupar "vagas", eu sei; há muita gente que sabe muita coisa. mas investigar o quê? como é que entra, doada, uma cadeira de rodas e não há uma simples cartinha a dizer: " a misericórdia agradece"? ah .. isso são coisas sem importancia, tá claro. fui eu que a doei.
a misericórdia é coisa séria, é sim senhor. por isso é que anda tanta gente preocupada e ainda bem.
já agora: há dois anos fiquei a saber que, com duas vagas no lar, uma reforma de 470 euros e dois quadros do kira (tudo mensalmente) não chegaram para ser aceite uma velhinha(a minha mãe) realmente a reforma é pouca, os quadros valem o que valem (não eram para comer!!!).mas não me chateei: aquilo não é chegar e entrar! promete-se sim. mas como nos leilões, penso eu, quem mais der mais hipóteses terá. é gestão, estúpido!
_________
oh mecinha : o porco não aparece porque o assunto "ora essa" é nacional. e a ovibeja está a decorrer !
atão?!

Anônimo disse...

Tempos houve no passado, em que personalidades conhecidas desta terra, deram cara, e não só, para impedir que determinadas situações irregulares na Santa Casa deixassem de ocorrer.
Diga-se em abono da verdade que a Santa Casa do Barreiro não é caso único. Outras Santas Casas também são acusadas de factos idênticos.
O que me perturba no meio disto tudo, é que se é verdade o que se ouve, porque não é apresentado o caso ao Ministério Público ?

Anônimo disse...

Li ainda hoje num jornal regional do Norte do país, que recebo por ter sido muitos anos professor naquela zona, que o concorrente derrotado do PS de Paredes, à CPC daquela terra, meteu o caso no Ministério Público porque houve um esperto que nem outro que a gente conhece bem aqui no Barreiro, que também se lembrou de pagar as quotas de uma série de militantes, alguns deles já falecidos há anos. Não percebi como é que aqui no Barreiro fizeram pior e os outros candidatos não fizeram nada.
Estou como diz o Sr. José Silva. Têm aquilo que merecem. Existe uma impunidade da parte daquele senhor, que lhe foi outorgada por todos, ao fim e ao cabo.
Deus queira que não venha por aí pior.

Anônimo disse...

Não há mal que sempre dure ...

Anônimo disse...

Nem bem que nunca acabe.

kira disse...

em paredes tambem trouxeram a urna à rua para que os inválidos pudessem votar ? chiça ! robert mugabe fez pior e perdeu! mas isso é outra história.
amigo: consulte o blog de "a verdadeira" que está entre os meus "preferidos".
o medo (?) está mesmo instalado!

kira disse...

só agora "percebi" a do porco. palavra que não acredito no que li no "rostos" - um comentário.

Anônimo disse...

Na notícia do Jornal ROSTOS, de 24 de Abril último, foram inseridos alguns comentários, que estão aqui em baixo, assim como o título, da notícia.

Porque razão o JORNAL ROSTOS não publica todos os comentários dos leitores ?

Será medo ou conivência do ROSTOS, em relação à Santa Casa ?

Uma coisa eu sei não passa pela cabeça de um careca, atribuir o prémio de SOLIDARIEDADE, a uma instituição, que evidencia indícios de situações menos claras e pouco democráticas.


Presidente da Câmara desconhece “inquérito” aberto à gestão do pelouro de Amílcar Romano na gestão socialista
http://www.rostos.pt/inicio2.asp?cronica=141926&mostra=2

costa
comentario: As comadres zangam-se e as verdades vêem ao de cima.

nome: Filósofa do Séc. XX
comentario: Mas que grande baixaria! É este o Partido Socialista que temos no Barreiro? Parecem duas varinas. E ainda dizem que são só as mulheres ciumentas que fazem cenas destas.Tenham vergonha meus senhores! Se não houve ou não há inquérito, esta será uma boa altura para ser feito, a fim de se apurarem os factos e a veracidade dos mesmos. Há ou não há falência da Santa Casa da Misericórdia do Barreiro? Se há, quem é o responsável? Como está a ser feita a gestão? Acolhe e apoia mesmo os idosos mais carenciados da cidade? Quem fiscaliza? Quem controla? E que história vem a ser essa de alguém se ter locupletado com o dinheiro de um "porco"? Eu, como Barreirense, gostaria de ver isto tudo muito bem esclarecido, doa a quem doer. A Santa Casa não é nenhuma sociedade anónima e os vereadores da CMB deveriam estar acima de qualquer suspeita. É vergonhoso o que se está a passar.

nome: maria maria
comentario: Não recebeu o meu comentário ? É que o da Filósofa foi feito depois.

nome: Rui Pires
comentario: Este Sr. Amílcar é um artista, mas dos fracos.

nome: maria maria
comentario: não percebo qual é o problema no comentário que já enviei 2 vezes, para não ser publicado ? Na notícia e nos comentários já publicados, é dito o mesmo (e pior) por outras palavras. no dia 24 de Abril a censurar comentários ??? não acredito .... :-)))))

nome: anonimo
comentario: O amigo Sousa, o meu comentário até não tinha nada do outro mundo, mas pronto não teve direito a vir a luz do dia, mas não me diga que desta vez vai papar hostias. Um abraço

nome: Paulo
comentario: "Terminei o meu mandato apesar dos sacrifícios pessoais" Sacrificios? Quais sacrificios? Quem é este cromo?

kira disse...

sou colunista do jornal "rostos" e conheço a prática do bom senso. ou seja: comentários anónimos ou comentários assinados que ofendam directamente as pessoas não terão lugar neste jornal.
é o que posso dizer.
um abraço

Anônimo disse...

o conceito de anónimo na virtualidade tem muito que se lhe diga. Tão anónimo é o que assina como anónimo, como o que assina como "Zé da Esquina".
Quanto a comentários ofensivos, plenamente de acordo. Mas não foi o caso .....

kira disse...

certíssimo!
o sousa pereira que explique.
será que o humor ainda tem mais uma sub-divisão... HUMORTÍFERO ?

Anônimo disse...

eça du mortífero, nã pssebi.
xplike mlhor saxavor

kira disse...

HUMOR- MORTÍFERO aquele humor que pode matar. exemplo? "quando dois mexicanos vao a conversar na rua, um deles diz, apontando outros dois que vão à sua frente: - paco, un de los hombres a nuetra fronte es mi hermano...- qual, pergunta paco? - o amigo puxa da pistola, aponta, dá um tiro dizendo: - quelo que se dobra!"
brincadeira! aqui não se trata nada disso. ok?
paco, digo. kira.

Anônimo disse...

a dinamite destrói. Mas também ajuda a construir.
destruindo ....
:-)

kira disse...

alfred nobel "construiu" com a invenção da dinamite, um grande prémio. egas moniz e josé saramago sabem-no. :-)

Hilário Godinho disse...

Peço Asilo Político, Je demande Asile Politique, Ich verlange politisches Asyl, I ask for Political asylum
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Resistência Portuguesa Militar e Civil Anti Pide/D.G.S.E. -----

Liberdade, Democracia, Justiça, Imprensa, Direitos Humanitários. Sim.
Ditaduras, PIDE/D.G.S.E., Tortura, Fome, Corrupção. Não Obrigado.
Peço Asilo Político, Dinheiro, Doente e Invalido com Fome em Tribunal com Dívidas.
Enviar dinheiro para a Anti Pide/D.G.S.E..
Sr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. -----

Se não pode impôr a paz, pode convencer pelo exemplo. -----

Peço Asilo Político. -----

Donativos para a Resistência Portuguesa Militar e Civil Anti Pide/D.G.S.E..
Hilário Vicente Rosa Godinho --- Conta de Épargne UBS CHF --- Nº conta 233-691451.M1F --- Nº de cliente 233-691451 --- Iban CH21 0023 3233 691451M1F --- SWIFT Adresse (BIC): UBSWCHZH80A --- UBS AG --- Postfach, CH 4053 Basel --- Suisse. --- Ou ---
Sr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. ---
Telefone: 0041 765 450 994. Comuniquem na Imprensa Mundial. Eu falo Português, E também Francês. -----
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Peço Asilo Político, Je demande Asile Politique, Ich verlange politisches Asyl, I ask for Political asylum
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Résistance Portugaise Militaire et Civil Anti Pide/D.G.S.E. -----

Liberté, Démocratie, Justice, Presse, Droits Humanitaires. Oui.
Dictatures, PIDE/D.G.S.E., Torture, Faim, Corruption. Non Merci.
Je demande Asile Politique, l'argent, le malade et l'invalide avec la faim devant le tribunal avec des dettes.
Envoyer argent pour l'Anti Pide/D.G.S.E..
Mr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. -----

Si ne peut pas imposer la paix, peut convaincre par l'exemple. -----

Je demande Asile Politique. -----

Donations pour la Résistance Portugaise Militaire et Civil Anti Pide/D.G.S.E..
Hilário Vicente Rosa Godinho --- Compte d'Épargne UBS CHF --- Nº de compte 233-691451.M1F --- Nº de client 233-691451 --- IBAN: CH21 0023 3233 6914 51M1F --- SWIFT Adresse (BIC): UBSWCHZH80A --- UBS AG --- Postfach, CH 4053 Basel --- Suisse. --- Ou ---
Mr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. ---
Téléphone: 0041 765 450 994. Communiquent dans la Presse Mondiale. Je parle Portugais, Et aussi Français. ---
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Peço Asilo Político, Je demande Asile Politique, Ich verlange politisches Asyl, I ask for Political asylum
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Widerstand Portugiesisches Militärisches und Zivilist Anti Pide/D.G.S.E. -----

Freiheit, Demokratie, Justiz, die Presse, Humanitäre Rechte. Ja.
Diktaturen, PIDE/D.G.S.E., Tortur, Hunger, Bestechung. Nein Danke.
Ich verlange politisches Asyl, das Geld, Kranke und Invalide mit dem Hunger vor dem Gericht mit Schulden. Senden Geld für Anti Pide/D.G.S.E..
Herr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Schweiz. -----

Wenn nicht aufdrängen kann der Frieden, kann durch das Beispiel überzeugen. -----

Ich verlange politisches Asyl. -----

Schenkungen für den Widerstand Portugiesisches Militärisches und Zivilist Anti Pide/D.G.S.E..
Hilário Vicente Rosa Godinho --- Compte d'Épargne UBS CHF --- N° des Kontos
233-691451.M1F --- Nº des Kunden 233-691451 --- IBAN: CH21 0023 3233 6914 51M1F --- SWIFT Adresse (BIC): UBSWCHZH80A --- UBS AG --- Postfach, CH 4053 Basel --- Schweiz. --- Oder ---
Herr. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Schweiz. ---
Telefon: 0041 765 450 994. Teilen in der weltweiten Presse mit. Ich spreche Portugiesisch, Und auch Französisch. -----
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Peço Asilo Político, Je demande Asile Politique, Ich verlange politisches Asyl, I ask for Political asylum
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Resistance Portuguese Military and Civil Anti Pide/D.G.S.E. -----

Freedom, Democracy, Justice, The Press, Humane Rights. Yes.
Dictatorships, PIDE/D.G.S.E., Torture, Hunger, Corruption. Not Thank You.
I ask for Political asylum, Money, Sick and Invalid with Hunger in Court with Debts.
To send money for the Anti Pide/D.G.S.E..
Sir. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. -----

If it can not impose peace, can convince by example. -----

I ask for Political asylum -----

Donations for the Resistance Portuguese Military and Civil Anti Pide/D.G.S.E..
Hilário Vicente Rosa Godinho --- Account of Épargne UBS CHF --- Nº of account 233-691451.M1F --- Nº of customer 233-691451 --- IBAN: CH21 0023 3233 6914 51M1F --- SWIFT Adresse (BIC): UBSWCHZH80A --- UBS AG --- Postfach, CH 4053 Basel --- Switzerland. --- Or ---
Sir. Godinho --- Dornacherstrasse, 245 --- CH 4053 Basel --- Suisse. ---
Telephone: 0041 765 450 994. Communicate in the World Press. speak Portuguese, And also French. -----

http://pide1.spaces.live.com/

Anônimo disse...

Segundo a Constituição Portuguesa pedir ou pedinchar é proibido.
Porque, recordo, existem Instituições para casos desesperados, como parece ser o do senhor.
Fale com o padre Melícias, com o senhor doutor Júlio Freire. Fale com o seu Presidente Cavaco Silva ou inscreva-se no Partido Socialista.
Este senhor kira tem muita lata.
Raio do home.

Anônimo disse...

Em 6 dias operou tanto como 5 (!!!) médicos num ano e por metade do preço cobrado na privada.
Em seis dias, um oftalmologista espanhol realizou 234 cirurgias a doentes com cataratas no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, num processo que está a "indignar" a Ordem dos Médicos. Os preços praticados são altamente concorrenciais, tendo sido esta a solução encontrada pelo hospital para combater a lista de espera. O paciente mais antigo já aguardava desde Janeiro de 2007, tendo ultrapassado o prazo limite de espera de uma cirurgia. No ano passado chegaram a existir 616 novas propostas cirúrgicas em espera naquela unidade de saúde. Os sete especialistas do serviço realizaram apenas 359 operações em 2007 (cerca de 50 por médico num ano). No final do ano passado, a lista de espera era de 384, e foi entretanto reduzida a 50 com a intervenção do médico espanhol.
A passagem pelo Barreiro durante o mês de Março - onde garante regressar nos próximos dois anos, embora o hospital não confirme - foi a segunda experiência em Portugal do oftalmologista José Antonio Lillo Bravo, detentor de duas clínicas na Extremadura espanhola - em Dom Benito (Badajoz) e Mérida. Entre 2000 e 2003 já havia realizado 1500 operações no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, indiferente às "críticas" de que diz ter sido alvo dos colegas portugueses. "Eu percebo a preocupação deles e sei porque há listas de espera tão grandes em Portugal. É que por cada operação no privado cobram cerca de dois mil euros", diz ao DN o oftalmologista espanhol, inscrito na Ordem dos Médicos portuguesa, que cobrou 900 euros por cada operação realizada no Barreiro.

As 234 cirurgias realizadas no Barreiro, por um total de 210 mil euros, foi o limite possível sem haver necessidade de abrir concurso público internacional, sendo que o médico fez deslocar a sua equipa e ainda o microscópio e o facoemulsificador. O hospital disponibilizou somente um enfermeiro para prestar apoio.

ORAESSA ....... !!!!!!!!!

kira disse...

há muita falta de vista em portugal. livra!

A-Verdadeira disse...

Mas que grande rebaldaria!

E tudo por causa da sua crónica.

Qualquer dia é preso. Não vê que o Rostos agora censura comentários?

Ando a ver muita beijoka entre o SP e o Santíssimo.

Será que ele já se converteu também?

Parece!

kira disse...

este blog parece um jornal de parede-de coura!
o sp andava "cachimbado" com o misérias. mas desde que este recebeu uma merdalha do ano a coisa endireitou-se (ena pá!). o sousa pereira não censura, pode é cortar alguns anónimos inconvenientes ou ofensivos - é no que acredito.
oremos !

A-Verdadeira disse...

Cuidado com essas "coisas" direitas...

kira disse...

há que endireitar o país, mecinha.

Anônimo disse...

Só se endireita o País, pondo a nú, a verdade dos factos e das situações, acima de quaisquer interesses individuais ou de grupo. Seja como cidadãos, como instituições, ou até como meios de comunicação de âmbito nacional.
Ou local.....Capice?
Mas não vos preocupeides, a verdade vem (e virá sempre) ao de cima. Quem pensa que pode controlar e calar, cortando e/ou censurando, neste mundo que é agora global e virtual, é tolo e naif.
Have a nice MAYDAY.

kira disse...

é capaz de ter razão mas... "olhe que não, olhe que não!"

A-Verdadeira disse...

O SP virou lápis azul.
Será que está feito com o dito cujo?
Já falei com nove pessoas que me disseram ter feito comentários no Rostos e que estes não foram publicados. Disseram-me essas pessoas que não foram incorrectas nem insultuosas para ninguém.
Será?
Será que ele tem alguém para alojar na Santa Casinha ou precise de uma cunha do Melícias?´

Mistério...

Anônimo disse...

ok, kira.
uma no cravo, outra na ferradura ....
















não faz o meu género.

kira disse...

a mecinha está a querer convencer-me que há lápis azul no sp? vou perguntar.
______

"olhe que não, olhe que não"... quero dizer mesmo isso! está tudo tão "comprometido" que os senhores que dominam não correm perigo. e sabe porquê? porque portugal está cheio de portugueses! telenovelas, futebol, fátima e àgua benta. repare à sua volta: todos se queixam mas ninguem mexe uma palha e quando alguem tenta lutar avisam-nos: - não te metas nisso, pá! a malta mete-se e lixa-se. eu não tenho medo nem dou uma no cravo e outra na ferradura.

kira disse...

...ainda mais: repre como tenho razão! até o meu amigo (que não sei quem é) receia. é anónimo porquê? ah já me esquecia! "anónimo" é o indivíduo que mais coragem tem e que mais escreve em portugal.também não faz o meu género.
kira

Anônimo disse...

Tem razão caro amigo foi falha grave da minha parte não me ter identificado, como fazem todos os participantes neste blog, a começar pela Verdadeira(*).
Sabe ainda ando nisto há pouco tempo.

assina

JACINTO LEITE CAPELO REGO












(*) - sabe quem é a Verdadeira ?
Eu não sei. Nem quero saber. E tenho raiva a quem sabe. Franchement, my friend.

kira disse...

sei quem é a verdadeira.
o jacinto não. mas calculo que seja uma pessoa educada.
um abraço do
kira

A-Verdadeira disse...

Por acaso até sabe.

Há alguma coisa contra isso?

Jacinto Leite Capelo Rego disse...

Sou educado e muito cristão.
Só pratiquei o coito para procriar como o deputado João Morgado.
Tenho dois filhos.

kira disse...

lembra-se da rtp do antes do 25 de abril? que rebalderia! deixavam praticar o coito em directo.o joão coito!
não leva mal se lhe segredar uma coisa? cá vai: quando li este seu comentário assustei-me! à pressa, li: "só pratiquei o coito para procriar "com" o deputado joão morgado" . Comi, salvo seja, o "o"-
olhe, um abraço e desculpe.

Anônimo disse...

Ora aqui temos aquilo a que se costuma chamar "uma pila Santa".

Também li "com o" em vez de "como o".

Esta língua portuguesa é muito traiçoeira.

Jacinto Leite Capelo Rego disse...

Meu filho não acreditais naqueles que dizem que na igreja há pedófilos, homossexuais, e irmãos que não pagaram o "porco". Perdoai-lhes porque não sabem o que dizem.
Vais rezar dois padres nossos e três avé marias, na posição do missionário, e também tu, meu filho, estás perdoado, por escreveres heresias.
amen

Anônimo disse...

Missionário???

Ó pá, isso já não se usa.

Agora o que está a dar é o face-sitting.

Pergunta ao Cabronzola.

O gajo mete-se lá debaixo. O mesericórdias arrreia o calção e senta-lhe a bundola na focinheira. Nem sabes como o gajo se lembe todo. Isso é que é o face-sitting.
Quais missionário?
Estás ultrapassado.

kira disse...

bandalhice é falta de imaginação.
ai os meninos!

o "politburo" pode enviar-vos para o arquipélago gulag.
dacisdânea tovarisk

A-Verdadeira disse...

Ai, balha-nos Deus.

Não havia necessidade...

Anônimo disse...

Sinto Vergonha!!
Amílcar Romano

Jornal do Barreiro | 21-04-2008
Carta ao Director



A Santa Casa da Misericórdia do Barreiro representou sempre uma referência no trabalho social para os barreirenses: os mais idosos, os mais carenciados e desprotegidos.



Os valores da solidariedade, da ajuda ao próximo no espírito da Igreja Católica, reflectiram-se sempre na disponibilidade de muitos milhares de barreirenses que cooperaram sempre no apoio a este projecto emblemático que acompanhou esta vila, agora cidade, ao longo dos séculos.



Não é fácil afirmar que hoje é mais importante que no passado, já que uma das grandes virtualidades da santa casa da Misericórdia, foi de reajustar a sua acção às necessidades dos tempos, e em cada momento, gerir os seus recursos em conformidade com as necessidades, eventualmente ir além das suas possibilidades através da benemerência dos mecenas da nossa cidade.



Um dos suportes inestimáveis para a sua acção foi, desde sempre, a disponibilidade de Mulheres e Homens bons que, com a sua prestação voluntária reforçavam os princípios e valores de ajuda e amor ao próximo e consolidavam um projecto de cidade.



Esta carta, cuja publicação desde já agradeço, é enquanto irmão que já desempenhou o cargo de Presidente da Mesa da Assembleia, mas também enquanto cidadão do Barreiro.



Acompanhei o sr. Provedor Júlio Freire em momentos muito difíceis para a Santa Casa da Misericórdia com a consciência de estar a defender o projecto e a instituição. Terminei o meu mandato apesar dos sacrifícios pessoais que tal para mim representou. No entanto, o mais importante era cumprir com os compromissos que solenemente tinha assumido.



Posteriormente, acompanhei alguns “projectos” da Santa Casa da Misericórdia, manifestando sempre tal disponibilidade para contribuir não só como cidadão mas também pelas funções que desempenhava enquanto Vereador da CMB. Assisti, nesta altura, a algumas atitudes do Sr. Provedor a que não atribui mais importância do que pequenas diatribes.



Hoje, a situação da Santa Casa da Misericórdia preocupa-me. Não pelo facto de ouvir uma cassete que já tem 10 anos, continuando a repetir os mesmos projectos que não se realizaram no tempo, sempre por culpa de terceiros…



A minha preocupação hoje foi ter sido confrontado com informações de que a Santa Casa da Misericórdia do Barreiro estará em situação de “falência técnica”.



Não queria acreditar! Não quero acreditar! Não quero acreditar nas medidas propostas pelo Sr. Provedor Júlio Freire como forma de remediar todo este quadro. Tenho vergonha!



A Santa Casa da Misericórdia do Barreiro tem acordos com a Segurança Social, os quais se regem pelos mesmos normativos que envolvem outras instituições similares. A Santa Casa recebe as contribuições dos utentes, dos irmãos, de dádivas…



Pelos vistos, a Santa Casa da Misericórdia do Barreiro padece já há alguns anos de uma gestão atabalhoada do Sr. Provedor.



Alimentar projectos que têm dado largas dezenas de milhares de euros de prejuízo, não sendo determinantes para a vida da Misericórdia, e só se justificando como meros instrumentos de afirmação pessoal; associar o nome da Santa Casa a práticas e objectivos laterais, senão mesmo contraditórios com o espírito da ajuda ao próximo resultaria inevitavelmente num descontrolo financeiro e na desmotivação de irmãos que têm, desde sempre, abraçado esta nobre causa.



Hoje, questiono-me porque terá o Sr. Provedor entrado em rotura com muitos irmãos que pertenceram aos órgãos sociais, apenas por manifestarem uma opinião diferente da sua. Hoje, questiono-me se o pedido de demissão do Sr. Provedor não será a alternativa para permitir a recuperação da situação financeira da Santa Casa da Misericórdia para direccionar os seus objectivos e a sua verdadeira vocação e, por outro lado, reforçar os laços de afectividade e alcançar a pacificação entre todos os irmãos.



Amílcar Romano



Resposta à carta enviada pelo Sr. Amílcar Romano.



Ao ler a carta dirigida ao Jornal do Barreiro reflecti profundamente se deveria responder –lhe ou, simplesmente ignorá-la.



Isto porque, conheço mal o Sr. Amílcar, mas já o conheço o suficiente para saber que o que aquele senhor pretende é ter protagonismo. Logo um Jornal é um meio privilegiado para satisfazer o seu ego!



Resolvi então responder a uma carta que, no fundo, foca 3 aspectos:



1. A sua entrada nos Órgãos Sociais da S.C.M.B.



Há que esclarecer que não o convidei para integrar qualquer Órgão Social da Instituição. Aliás, o meu amigo Carlos Pires pode testemunhar que o meu candidato a Presidente da Assembleia Geral era outro. Mas, enfim, depois de grande insistência por parte do Sr. Romano, desfiz o convite dirigido a outra personalidade de grande prestígio na cidade, facto de que me arrependi, porque, passado pouco tempo, apercebi-me facilmente dos intuitos deste senhor. Ganhar protagonismo através de um jornal que lhe proporcionasse e sustentasse a sua ânsia de poder!



2. Afirma depois o Sr. Romano, que acompanhou os projectos apresentados pela Santa Casa. É verdade, acompanhou, mas foi com o intuito de os inviabilizar.



Como bem nos lembramos, infelizmente pela negativa, o senhor Romano foi, há 6 anos atrás, o Vereador responsável pela Área Social, pelouro por onde passavam todas as solicitações e projectos que apresentávamos à Câmara. E o que fez o Sr. Vereador? Retirou o passe dos Transporte Colectivos do Barreiro aos trabalhadores do Apoio Domiciliário; boicotou todos os pedidos, endereçados à Câmara no sentido de assumir as suas responsabilidades enquanto parceira no Centro de Acolhimento a crianças abandonadas e mães solteiras e mal tratadas, pois, tal como foi referido na última Assembleia Geral, esta valência acumulou nos nove anos do seu funcionamento, cerca de um milhão de euros de prejuízo, suportado exclusivamente pela Santa Casa; nunca se disponibilizou para resolver os problemas com o autocarro da Instituição, boicotou a possibilidade da Misericórdia lançar o Projecto de Hospital de Cuidados Continuados. Enfim, a panóplia de assuntos a que nunca deu resposta revela bem o sentido de solidariedade desta “individualidade”



As reclamações, no entanto, não são só nossas, o que se passou com os Reguilas, o Paivense, o Sporting Lavradiense, o Fabril e muitos outros, revela bem a sua incapacidade para gerir o que quer que seja!



3. Debruçou-se depois o Sr. Amílcar sobre a Gestão da Misericórdia no ano de 2007.



Devo dizer -lhe que a Senhora que lhe transmitiu o desenrolar da Assembleia, não foi nada rigorosa (isto para não dizer que mentiu com “quantos dentes tem na boca”, pois penso ter transmitido claramente a situação actual na Instituição, disse, inclusivamente, que neste últimos anos a Santa Casa tem tido o apoio de irmãos que a têm beneficiado com importantes doações, o que, como é evidente, a torna perfeitamente solvente.



Quando assumi funções na Santa Casa o seu Património era parco. Hoje, graças à acção da Provedoria, temos um Património, que se pode considerar valioso. É verdade que temos dívidas a fornecedores. No entanto, elas são resolúveis a curto prazo, basta para isso alienar uma pequena parte desse Património. Lembro-lhe, também, que ao longo destes últimos anos suportámos défices avultados com o Apoio a Carenciados, os quais, contabilizados, ultrapassaram os 6 mil euros; simultaneamente, suportámos uma dívida, hoje totalmente paga, de mais de 500 mil Euros.



Por isso Sr. Romano, vergonha sinto eu! Como foi possível ter sido Vereador da Câmara Municipal do Barreiro? Sabe, toda a população do Barreiro conhece o resultado do inquérito mandado elaborar por Emídio Xavier e executado por três Técnicos Superiores da Câmara à gestão do seu pelouro. Se a edilidade tivesse levado este inquérito, ou inspecção até ás últimas consequências, o Sr., certamente, teria sido de imediato exonerado do cargo. E que dizer daquela reunião da Comissão Politica do P.S. em que um dos membros da C.P. o acusou com todas as letras, perante mais de 50 pessoas, de ter ficado com o dinheiro do célebre porco? Aí sim, fiquei com vergonha!



Um último apontamento. Tenho por hábito facultar o meu número de telefone, pois enquanto Provedor entendo que me compete estar aberto e acessível para poder facilmente dar respostas às mais variadas solicitações daqueles que mais precisam. Agora fazer uso dele para enviar mensagens ordinárias, que só por respeito para com os leitores do J.B. não as transcrevo, é, de facto, uma cobardia inqualificável!



Acções como esta só as vivi antes do 25 de Abril. Pensava eu que perseguições desta índole já tinham terminado… pelos vistos não! No entanto, devo dizer que já accionei os mecanismos necessários junto da PJ para identificar o telemóvel, cujo número é: 351934768835.



Definitivamente Sr. Amílcar, deixe-se de garotices! Só lamento que, ao olhar para algumas das pessoas que o acompanham, veja que são honestas, e que nada têm a ver com o seu comportamento.



Por aqui me fico, tenho muito mais que fazer que o aturar!



Por mim este assunto fica encerrado.



Júlio Freire

Anônimo disse...

Jornal do Barreiro | 02-05-2008
Hoje, Sinto Mais Vergonha!!



Nos termos do art.º 24º da Lei de Imprensa, venho solicitar o Direito de Resposta a um artigo publicado na edição do Jornal do Barreiro de 18 de Abril de 2008, na página 6, na sequência de considerações feitas pelo Sr. Provedor da Santa Casa da Misericórdia que, nessa mesma edição, decidiu dar resposta a uma Carta ao Director que enviei para publicação.



De facto, hoje, sinto mais vergonha! Seja quem for que assuma o cargo de Provedor de uma Santa Casa da Misericórdia fica obrigado a um conjunto de responsabilidades:



a) de se assumir como uma referência local;



b) de ser capaz de estabelecer consensos;



c) de mobilizar e sensibilizar os cidadãos para o reforço da acção social e de ajuda ao próximo;



d) de influenciar instituições públicas e o tecido empresarial na luta contra a pobreza e nas medidas de apoio aos mais necessitados para o desenvolvimento de projectos que promovam os equilíbrios sociais e respondam preferencialmente aos mais carenciados…



Sempre pensei que o sr. Provedor Júlio Freire tivesse um pouco mais de bom senso e humildade e assumisse erros que resultam da sua má gestão na Santa Casa da Misericórdia do Barreiro.



Pelo contrário, assume a provocação no tom mais arruaceiro que se lhe conhece e mistura pseudo-ataques pessoais à Misericórdia, com ataques de natureza política na vida interna do Partido Socialista do Barreiro. Na minha Carta ao Director evitei particularizar problemas por razões de ética mas também porque eles são do conhecimento dos irmãos que acompanham regularmente a vida da Misericórdia do Barreiro e também do sr. Provedor.



A avaliação do meu desempenho enquanto Presidente da Mesa da Assembleia mereceu o carinho e apoio de largas dezenas de irmãos e não aceito que o sr. Provedor teça comentários que na altura não fez. Bem pelo contrário! E não transforme uma “senhora” em “bode expiatório” quando a informação passa naturalmente através de vários irmãos.



A Santa Casa da Misericórdia do Barreiro, ao ter chegado a uma situação financeira grave de “falência técnica” deveria ser motivo suficiente para obrigar a uma avaliação rigorosa da gestão que está a ser feita, quais as causas e medidas aconselháveis que deveriam sustentar um plano de saneamento financeiro sem prejudicar os utentes e trabalhadores. A não ser assim, qualquer solução irá apenas alimentar as incapacidades e vaidades do Sr. Provedor Júlio Freire.



A título de exemplo, a obrigatoriedade dos utentes pagarem as fraldas e os medicamentos e ainda o despedimento de trabalhadores. A alienação do património deveria ser um recurso a utilizar como última alternativa.



O JORNAL DO BARREIRO deu largas dezenas de milhares de euros de prejuízo, não representando uma vocação da Misericórdia gerir jornais e sobretudo os seus prejuízos recaírem sobre os utentes da Santa Casa. Há vários anos que foi apresentada a proposta de negociar o Jornal com privados. Só a vaidade de promoção do Provedor tem alimentado este erro, o qual, diga-se em abono da verdade, também responde ao emprego de familiares e amigos do sr. Provedor.



O Centro de Acolhimento é um projecto que serve o concelho, como serve outros concelhos mais próximos e distantes do Barreiro. Há vários anos que foi proposta a renegociação do respectivo protocolo com a Segurança Social, ou então reformulação deste equipamento para outro projecto social, eventualmente creche (serviço de grande carência na freguesia do Barreiro).



Foi também apresentada, posteriormente, a candidatura para uma creche, e que mereceu aprovação, ao POEFDS – Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento Social. Recentemente, a Misericórdia desistiu desta candidatura e concorreu ao PARES – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, para construção de creche em terreno cedido pela CMB, na freguesia de Palhais, o qual dista 200m do Centro Social de Acção de Palhais que apresentou candidatura similar.



Que eu tenha conhecimento, a Santa Casa da Misericórdia do Barreiro nunca apresentou qualquer candidatura à Segurança Social para aquisição de viatura (mini-autocarro) à semelhança de outras instituições do Barreiro que o têm feito com sucesso.



A CMB, no mandato de gestão do PS, apoiou as obras de recuperação do Centro de Acolhimento, em 60 mil euros; envolveu-se na organização de reunião com elementos ligados ao BEI – Banco Europeu de Investimento – para apoio à construção do Hospital de Retaguarda. Eu próprio solicitei a uma Arquitecta da CMB para apoiar a Misericórdia na execução deste projecto de arquitectura. Ainda hoje essa técnica deverá estar à espera de informações específicas que o Sr. Provedor ficou de facilitar, através de um outro Provedor seu conhecido. Disponibilizei-me pessoalmente para dar todo o apoio às residências assistidas, projecto altamente de grande valor para o Barreiro e que tem obtido grande sucesso nos concelhos onde foi concretizado. Sempre manifestei total disponibilidade para apoiar os projectos da Santa Casa da Misericórdia do Barreiro. Igual atitude foi assumida pelos restantes membros do executivo PS na CMB.



Alguns destes projectos não foram concretizados (veja-se a remodelação da cozinha ainda não concluída) simplesmente por desinteresse do sr. Provedor Júlio Freire que preferiu manter, ao longo dos anos, a velha cassete dos projectos que não concretizava, e assumir o papel de vítima, vício que herdou da sua formação política.



Hoje, os problemas que a Santa Casa da Misericórdia enfrenta justificam que os irmãos encontrem uma alternativa ao actual Provedor que corrija a forma atabalhoada de funcionar do sr. Júlio Freire.



Quanto aos ataques políticos que proferiu, vou ser muito breve já que o fórum próprio para lhe responder será a Comissão Política Concelhia.



Não tem noção do que é mentir e falar verdade.



Não posso, no entanto, deixar de registar algumas notas:



1. Sou Vereador do PS desde 1997 e no mandato de 2001-2005 desenvolvi projectos emblemáticos que se manterão no futuro.



2. Ó Júlio, tu deves estar tonto ou então estás a resvalar de forma descontrolada para a senilidade.



3. Tu não estás recordado da cena triste que fizeste, na Assembleia Municipal, ao ameaçar fisicamente o então Deputado Municipal do PSD, Mendes Costa?



4. Tu não estás recordado de tratar como fascistas os militantes do Partido Socialista do Barreiro?



5. Tu não estás recordado de querer entrar como militante para o PS para deitar abaixo a Direcção política do saudoso Aires de Carvalho, camarada com quem tive o privilégio de trabalhar e a quem sempre estive ligado de forma solidária e fraternal e em total concordância política?



6. Ó Júlio, tu mereces a reforma política a que tens direito mas deves ter mais cuidado pois, caso contrário, transformas-te num caso patológico difícil de tratar.



Sem reservas, mas com vergonha!



Amílcar Romano



Último comentário de Júlio Freire



Conforme afirmei no dia 18 de Abril, no Jornal do Barreiro, a “guerra epistolar” para mim terminou!



Não vou cair na incúria de responder a uma carta que tem como único objectivo denegrir a minha imagem. Ao invés de outras pessoas que surgiram, por acaso, no Barreiro, a mim todos os Barreirenses me conhecem e sabem que sempre me pautei pela honestidade, integridade e espírito de solidariedade para com o próximo. Em sede própria esta carta será discutida e o seu mentor será chamado à responsabilidade.



Júlio Freire

Anônimo disse...

TAMBÉM NÓS

SENHORES JÚLIO FREIRE E AMÍLCAR ROMANO

SENTIMOS MUITA VERGONHA


PELOS IDOSOS BARREIRENSES

kira disse...

o que perde um tipo como eu ter deixado de ler o jornal do barreiro! há por aí cacetada de meia-noite (como nos velhos tempos das reuniões dos irmãos, a que assisti, com portas e vidros partidos... ofensas verbais à entrada (a mim chamaram-me submarino) e pancadaria à saída (o baduga que diga). acho que as reuniões de irmãos era para mudar nao sei o quê !
chiça!
ai que os anónimos têm razão. ai ai.