20080509

CHIÇA !

26 comentários:

A-Verdadeira disse...

Coitado do AdS.
E daí...
O outro era capaz de não dizer que não. É de família abastada.
O homem petrificou só de pensar que o iam levar para a Misericórdia.

kira disse...

pestáclaro que não dizia que não! só que ao fim de um mês quem ficava petrificado seria o misérias. o ads tomava-lhe o lugar.
agora lembrei-me: com esta campanha "an-tijulio" receio que um dia, depois da sua morte natural, venham a esquecê-lo e lá se vai a topomimía. há gente que sonha com essas coisas. mas eu, respeitador(?) deste género de indivíduo proponho mas para já - antes que rebente a bomba - um abaixo assinado para que, à nova ponte chulas-barreiro seja dadp o nome de PONTE JULIO. ponte final. quem assina? (eu escrevi "assina", não "assassina" enh?).
oh pinheiro de azevedo, podes repetir ?

Anônimo disse...

Sei que é através do humor que se chega às questões pertinentes da vida.
Tenho lido atentamente todos os comentários sobre o assunto que domina actualmente a cidade do Barreiro e acho inadmissível que as pessoas apesar de tudo se mantenham indiferentes à questão.
O que se está a passar é muito grave. Trata-se da apropriação indevida de uma Casa que deveria ser gerida com rigor e parcimónia, fora de qualquer tipo de suspeita.
Pelo que tenho lido aqui, chego à conclusão que as crianças passam fome e são espancadas, sem que ninguém interfira na questão.
No Barreiro há uma Comissão de Protecção de Menores para quê?
Quais são os subsídios do Estado que estão a ser dados à creche? É assim tão pouco que só podem dar 3 litros de leite a 20 crianças? Porque é que os funcionários também bebem desse leite?
Estou abismado e chocado com tudo isto. Chego à conclusão que temos crianças institucionalizadas a passar fome e tal não se admite.
Vou fazer uma denúncia pública destes factos ao Ministério Público e vou pedir que seja feita uma sindicância o quanto antes, até porque li também que espancam os miudos. É inadmissível.
Quem é o responsável por tudo isso?
Deveria ser apurado em sede própria e é isso que irei fazer.

kira disse...

parece que houve por aqui um feed-back. é isso mesmo que vai acontecer. espere.

perguntei como é que se assume que os funcionários bebem leite. a resposta: - nós tomávamos as refeições com os miudos. alguém que esclareça melhor, por favor.

Anônimo disse...

Mas onde é que, tudo isso anda escrito na net, que eu não vi, nem li, em especial, em relação à casa de acolhimento ? Suponho que se estarão a referir ao PALHAÇINHO, no Largo de Santa Cruz, junto à PSP, que acolhe crianças vítimas de maus tratos, e mães jovens solteiras, e que pertence à Santa Casa da Misericórdia do Barreiro ?
Já agora: têm a certeza que a CPCJ do Barreiro tem cumprido a missão ?
O que eu vejo é conferências, jantaradas, e gente muito produzida e cheirosa, normalmente, tudo colocado por via do FACTOR C, isto é, POR CUNHA. Mas resultados, népia.
O resto, não vejo mais nada, a não ser muitos problemas de crianças carenciadas e maltratadas, de mulheres, vítimas de violência, de tecla 3 (def), e de idosos, tudo, por resolver e tudo ao abandono, neste Barreiro.

PORRA !!!!! QUE É DEMAIS !!!!!!

kira disse...

pois é demais!!!

vem escrito - comentado - neste blog na postagem ALUTA CONTINUA. julgo de alguem que está ou esteve a servir por lá. conheço, como disse, pessoa que conta histórias iguais.

Anônimo disse...

"Alguma coisa anda mal no Reino da Dinamarca".
Neste caso é no Barreiro e envolve instituições que deveriam ser impolutas e não são.
O factor C não pode justificar tudo. Cabe a todos acabar com estas situações.
Para o Ministério Público, já e em força!

Anônimo disse...

Não se esqueçam que o Ministério Público também faz parte da CPCJ.
O Ministério Público sabe MUITO BEM o que se passa.
Eu disse: MUITO BEM !!!!

Anônimo disse...

Eu também sei que o Ministério Público sabe - bem - o que se passa, no Barreiro, só que não é a este orgão que cabe resolver, nem tem meios para o fazer.
Os meios para resolver estão nas mãos da Segurança Social. E a Segurança Social não resolve.

Anônimo disse...

Mas se quizerem ter um retrato mais nítido da situação, de âmbito nacional, para não ficarem a pensar que é só no Barreiro, que se verificam determinadas situações, ao nível de instituições de acolhimento de crianças, por favor, leiam este relatório, que até nem é muito grande.

Título:
Plano de Intervenção Imediata – Relatório de caracterização das crianças e jovens em situação de acolhimento em 2006
Entidade:
Instituto de Segurança Social


http://www.cnpcjr.pt/preview_documentos.asp?r=1117&m=PDF

A-Verdadeira disse...

Se quisessem fazer alguma coisa, já tinham feito.
O assunto tem de ser tratado por outra via que não essa e sei que já está a ser feito algo nesse sentido.

Anônimo disse...

Não é um problema localizado. Atinge todas ou quase todas as instituições desta natureza. As entidades competentes - Comissão nacional das CPCJ's e a Segurança Social, sabem-no melhor do que ninguém.
Não se descobriu a pólvora. Foi só isso que pretendi dizer.
Os dirigentes e responsáveis destas instituições não receiam quaisquer ameaças, porque há muitas formas de justificar e fundamentar as falhas e as insuficiências, por incapacidade do próprio sistema.

A-Verdadeira disse...

Não podemos ser contumazes e deixar andar, só porque "não é um problema localizado" que "atinge todas ou quase todas as instituições desta natureza". Há que pôr um fim a esse tipo de aferição. Espancar crianças e fazê-las passar fome com dinheiro do Estado, não pode ter qualquer tipo de justificação.
Os pançudos têm de ser responsabilizados por isso e não vai haver bispo que lhes valha.
Não pode haver.

Anônimo disse...

Pois não, tem toda a razão, Verdadeira.
Repare que, se a fiscalização e a inspecção devidas pela Segurança Social, fôssem realizadas de acordo com as regras, muitas destas coisas só dificilmente se passariam.
O problema começa logo por aí.
A Segurança Social não cumpre o seu papel, devidamente.
A partir daí, o caminho está aberto para tudo o resto.
Além de que estas entidades "comem" todas à mesma mesa, amiúde, e isso cria redes de relações que são pouco saudáveis, para o distanciamento necessário com o qual é preciso olhar, melhor, fiscalizar estas instituições.
É uma espécie de,........ fica tudo "em família".
É por isso que é muito bom, que os poderes judiciais não se "misturem", para não serem acusados, como se tem visto, em várias situações, no poder local (e não só), de relações com autarcas, que levam a decisões parciais, de favorecimento e até de obstrução à própria Justiça.
Percebe-me ?

A-Verdadeira disse...

Percebo perfeitamente.
Não há muito tempo fui mandatária oficiosa de uma velhinha a quem foi recusado o rendimento social de inserção. A assistente social que foi lá a casa avaliar a situação, considerou que a senhora evidenciava sinais de riqueza porque tinha a casa limpíssima e uma colcha de brocado na cama. Esqueceu-se de dizer no relatório que a dita colcha tinha mais de 60 anos e foi a colcha do casamento da idosa e tinha a casa limpa porque as duas vizinhas do rés do chão, se revezavam na limpeza.
Passei-me dos carretos e consegui que lhe fosse atribuido o rendimento.
Descasquei forte e feio e adiantou alguma coisa.
Há também os casos em que têm retirado os miudos às famílias de acolhimento para os entregar à família biológica e depois esses miudos são torturados e mortos sem que a Segurança Social assuma que foi a responsável, por não ter feito uma avaliação conveniente de cada situação.
O caso da Misericórdia do Barreiro não é diferente dos outros, mas eu acredito que as pessoas de bem da cidade, não têm sangue de barata, são responsáveis e não vão pactuar mais com aquele estado de coisas.
É desumano espancar crianças e fazê-las passar fome.
Eu sou mãe e não admito isso. Uma criança precisa de beber pelo menos um litro de leite por dia.
Pode ser que não tenha sido o Provedor a espancar os miudos mas é ele que controla a parte alimentar. Tão gatuno é o que rouba como aquele que fica à porta a ver.

Anônimo disse...

Por acaso até conheço muito bem, quem dirige a instituição a que se refere a Verdadeira. Não tenho a pessoa em causa, na conta de praticar ilegalidades dessa natureza. O que não significa que não possam acontecer factos, que até nem sejam do conhecimento da responsável da instituição. E se assim for, quem sabe alguma coisa, deve alertar as entidades competentes. Tenho a certeza que a própria directora ficará grata por isso.
Sejamos justos e não nos esqueçamos que, naquela instituição estão crianças RETIRADAS aos pais, por motivo de maus tratos, e naturalmente, alguns desses pais tentarão lançar, calunias sobre a responsável da instituição, como forma de tentar obter as crianças, de retorno.
Conheço a instituição apenas na entrada. Mas tenho muitas duvidas que sirva as necessidades daqueles que lá vivem. E também tenho muitas duvidas, que os técnicos e os auxiliares, sejam em numero suficiente, para as necessidades desta instituição. Factos que por si só, podem conduzir também a alguns maus tratos.
Sendo neste caso, a responsabilidade, em primeiro lugar, do dirigente máximo da Entidade, que tutela a Casa de Acolhimento. Por não recrutar pessoal suficiente que dê resposta às necessidades da instituição.
Ou para poupar dinheiro, ou porque não o tem para gerir a institução.

A-Verdadeira disse...

Não "branqueemos" a questão.
Há argumentos que não colhem e o Senhor Anónimo deve saber disso tão bem quanto eu.
Têm lá montes de pessoas a trabalhar na parte administrativa, que não fazem falta nenhuma, porque nem sequer têm qualificação profissional (9º ano). Essas pessoas, pelo menos uma delas e segundo o que li por aqui, é já reformada da função pública e ganha mil euros por mês com telemóvel pago pela instituição.
Ora isso não será um desperdício em termos económicos e financeiros?
Quantos pacotes de leite poderiam comprar com mil euros mensais?
São perguntas que ficam no ar e que normalmente ficam sem resposta.

Anônimo disse...

Cara Verdadeira, os factos que refere, sinceramente, desconheço. A serem verdade, realmente não está certo. Eu apenas me referi, no último comentário, à Casa de Acolhimento. E nessa instituição, só vi uma recepcionista/telefonista à entrada. Não vi mais pessoal administrativo.
Talvez se esteja a referir à SCMB, na Miguel Bombarda. Que conheço pouco. Mas oiço dizer muita coisa.
Normalmente, não há fumo sem fogo ...
As entidades competentes que inspeccionem.
Os idosos da cidade do barreiro merecem-no.
E as crianças desprotegidas, nem se discute.

A-Verdadeira disse...

Vão inspeccionar, vão.
A SCMB é quem tutela a Casa de Acolhimento.
Se tem dinheiro para pagar bom ordenado e telefone a pessoas já reformadas que trabalham na sua parte administrativa, utilizando o velho esquema dos "recibos verdes", também deveriam ter para comprar leite aos miudos.
Não se admite!

kira disse...

O Carlos Cabral é um dos que tem uma boa reforma e está a ganhar... a recibo verde (?).
kira

Anônimo disse...

Nada que seja ilegal, creio.

Morde-aqui-a-ver-se-eu-deixo disse...

Não será ilegal mas IMORAL é de certeza.
O gajo tem a 4.ª classe mal feita e ganha por dois carrinhos sem ser técnico qualificado. É um grande escova e um grande sabidola.
É o caceteiro-mor. Por isso ganha tão bem.

Anônimo disse...

Exacto. Imoral. É.
Já procuraram saber onde é que há mais contratações imorais como esta, no Barreiro ?
E no País ?
E se as alterações propostas pelo PS no Código Laboral forem aprovadas, ainda vai haver muitas mais imoralidades, no mundo do trabalho "portuguése". E depois ?
Desde que não se ultrapasse os limites da lei, tudo é possível. Imoralidades, à parte.
Por aí não vão lá. A menos que ainda acreditem no Pai Natal.
A seita está bem defendida.

Morde-aqui-a-ver-se-eu-deixo disse...

"Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe".

Anônimo disse...

Que Deus (o) ou (a) oiça !!!!

E se não fôr a Justiça Divina a ouvir, que pelo menos a Justiça dos Homens, se cumpra.
ena pá, daki nada até pareço o avelino torres a falar. ahahahahahahahahaahha

Morde-aqui-a-ver-se-eu-deixo disse...

Esse Avelino Ferreira Torres também andava muito bem "calçado", era o rei da Kananga e alguém lhe tirou os chanatos.

Por isso, tudo há-de ter um fim.

Deus é grande!